top of page
Fundo .png

Portaria paulista regulamenta as hipóteses de não lavratura de Auto de Infração e Imposição de Multa

No dia 31/07/2023, foi publicada, no diário oficial do Estado de São Paulo, a Portaria SRE nº 51, que regulamenta as hipóteses de não lavratura do Auto de Infração e Imposição de Multa.


Por força dos princípios da legalidade e da vinculação da Administração Pública, o lançamento tributário é ato administrativo vinculado, inexistindo qualquer discricionariedade quanto à constituição (ou não) de crédito tributário ou à aplicação de sanção tributária previstos em lei.


Nesse sentido, no Estado de São Paulo, o §3º, do artigo 72 da Lei Estadual nº 6.374/1989 prevê a possibilidade de se deixar de lavrar o Auto de Infração e Imposição de Multas em atenção aos princípios da eficiência administrativa e da razoabilidade, nos termos de disciplina estabelecida pela Secretaria da Fazenda.


No exercício desta competência, foi editada a recente Portaria SER nº 51/2023. Conforme exposto neste documento, poderá deixar de ser lavrado auto de infração quando, cumulativamente, (i) a infração não implicar falta ou atraso no recolhimento do imposto; (ii) não existirem indícios e dolo, fraude ou simulação; (iii) ficar constatado que a infração não trouxe prejuízos à fiscalização; (iv) o contribuinte não tiver sido autuado por qualquer das infrações previstas no artigo 85 da Lei nº 6.374/1989, ou notificado nos termos do artigo 2º, nos últimos 3 (três) anos; e (v) o contribuinte não possuir débitos, inscritos ou não em dívida ativa, ou, caso possua, estiverem com exigibilidade suspensa.


Além disso, de acordo com a Portaria, entende-se essa ausência de prejuízo à fiscalização (item iii) como qualquer ação ou omissão que implique embaraço, atraso ou dificuldade à ação fiscal, inclusive o descumprimento à notificação fiscal específica, ou prejudique o controle fiscal sobre as operações ou prestações.


Presentes os requisitos cumulativamente previstos pela Portaria e, deixando de ser lavrado o auto de infração, o contribuinte deverá ser notificado para adotar as providências necessárias à regularização da infração, caso seja possível e indispensável, em prazo compatível, assim como para cumprir as obrigações tributárias pertinentes em conformidade com a legislação.


A Portaria SER nº 51/2023 também revogou a Portaria CAT 115/2014, que tratava do controle de qualidade antecedente à lavratura de Auto de Infração e Imposição de Multa, produzindo efeitos desde a sua publicação, mesmo para os casos em que estejam pendentes de decisão das Comissões de Controle de Qualidade do AIIM.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Receba nossas publicações

Obrigado pelo envio!

bottom of page